Michel Augusto

reformados

10 motivos pelos quais muitas igrejas e pastores batistas resgataram a origem reformada?

10 motivos pelos quais muitas igrejas e pastores batistas resgataram a origem reformada?

Por Michel Augusto

1. Por uma questão hermenêutica. Buscar a hermenêutica reformada é uma questão de sobrevivência em meio ao caos dos resquícios liberais e leituras sociológicas da Bíblia na pós-modernidade.

2. Por questões soteriológicas. Definições doutrinárias reformadas nos diferenciam não somente do arminianismo, como também do romanismo. Há quem defenda que a definição sobre a doutrina da salvação não seja importante para a prática. Erro crasso! É tão importante que, influência na nossa adoração privada ou pública

3. Para resgatarem valores conservadores. Os progressistas trouxeram prejuízos para a igreja brasileira, levando muitos à um esquerdismo com consequências ideológicas que deturpam os principais valores das Escrituras Sagradas;

4. Por se cansarem de indefinições teológicas. Não ter um posicionamento teológico traz consequências diretas para a igreja, que fica à mercê do pluralismo e relativismo.

5. Resgate confessional. Os Batistas atuais usam a confissão de fé somente para fins de registro cartorário. O primeiro ponto “Das Escrituras” é o primeiro a ser colocado em dúvida, tantos nas escolas e principalmente nos seminários teológicos, que se tornaram liberais ou neo ortodoxos.

6. Resgatar a ortodoxia. A prática sem doutrina tem levado muitos à um tipo de emocionalismo e ações desprovidas de fundamentos bíblicos. Já a doutrina sem prática leva ao cinismo religioso. O certo é que as duas estejam unidas e funcionem para a glória de Deus.

7. Resgate histórico. Um povo sem história definida fica sem identidade.

8. Mudar a imagem do povo batista no Brasil. Outrora, ser batista era motivo de orgulho e respeito. Hoje, vemos igrejas batistas neopentecostalizadas, influenciadas por movimentos de crescimento e multiplicação etc. A imagem do batista está muito truncada e desacreditada e precisa ser levantada novamente;

9. Para que as próximas gerações tenham referencial de firmeza doutrinária e prática;

10. Para que a missão do povo de Deus seja marcado por convicções e fundamentos nas Escrituras Sagradas e não pelo pragmatismo atual.

Os batistas sempre foram vistos como os “irmãos bons de Bíblia”, mas o excesso de contextualização e a tentação e fetiche por mega templos e o liberalismo teológico, mudou essa visão. Cumpre a cada um de nós, como batistas, resgatar os pontos acima elencados.